Poke vegano de shimeji



Coloquei na cabeça que iria preparar meu primeiro poke, depois de ter experimentado um maravilhoso. Escolhi alguns dos ingredientes que mais gosto e fui procurar como fazer sunomono no youtube.

Demorei tanto para picar tudo bem pequenininho e montar o poke, que não vou ter vontade de preparar outro tão cedo. Mas uma coisa eu não posso negar: é uma verdadeira bomba de nutrientes que fazem bem para o nosso organismo. Eu poderia comer esse tipo de comida todo dia, mas, parafraseando o carteiro Jaiminho, quero evitar a fadiga.

Ingredientes:

para o sunomono de pepino
1 pepino japonês 
1 colher de açúcar
1 colher de vinagre de arroz
1 pitadinha de sal

Em uma panelinha, aqueça o vinagre e o açúcar. Retire o fogo, misture bem até dissolver todo o açúcar e deixe esfriar. Corte o pepino em rodelas bem fininhas (usei um mandoline) e coloque-o em uma tigela pequena com tampa. Salpique o sal, misture delicadamente e despeje a mistura de vinagre e açúcar sobre pepino.
Tampe a tigela e leve para gelar até montar o poke.

Obs: o sunomono dura até 3 dias na geladeira sem estragar.

para o shimeji
250g de shimeji 
1 ½ colher (sopa) de azeite de oliva 
cebolinha a gosto - usei ciboulette, pois é mais fininha
Sal a gosto

Lave os cogumelos em água corrente, sem deixá-los de molho. Esfregue-os delicadamente, escorra-os e enxugue-os com um pano limpo.
Lave e escorra a salsa. Descasque e pique o alho com a salsa.
Refogue os cogumelos numa frigideira bem quente com ½ colher (sopa) de azeite de oliva. Mexa de vez em quando até que os cogumelos tenham depurado sua água. Escorra-os e seque a frigideira com um papel absorvente.
Aqueça o azeite restante com a manteiga na frigideira, adicione os cogumelos e a mistura de salsa e mexa delicadamente, deixando cozinhar por alguns minutos em fogo baixo. Tempere com sal e pimenta-do-reino.

para montar o poke
4 colheres de (sopa) de quinoa cozida - pode ser grão de bico, lentilha, etc
um punhado de mix de folhas baby
1 cenoura pequena ralada
10 tomates-cereja cortados ao meio
1 manga pequena e firme cortada em cubinhos
1 avocado fatiado
shimeji salteado
sunomono de pepino
gergelim preto torrado para salpicar
molho shoyu a gosto

Montagem:

Em um bowl, comece colocando a quinoa e em seguida vá dispondo os ingredientes de modo que fiquem todos aparentes. Finalize colocando o molho por cima. Sirva imediatamente.
Rende 2 porções generosas.



Salada de repolho roxo e manga no pote


Prometi que iria compartilhar esse meu processo e eis que aqui me encontro. Gente, não é nada fácil. Aliás, eu sabia que não seria fácil, mas eu não tinha noção do quanto seria difícil.
Perder peso é um processo muito mais lento do que eu imaginava. Ainda mais por ter optado pela reeducação alimentar e não por fazer dieta restritiva.
O lado bom é que, optando pela reeducação, você aprende a se alimentar corretamente e dificilmente voltará a ganhar peso.
Esta semana conheci o trabalho de uma nutricionista que prepara marmitas veganas e fiquei apaixonada pelo sabor da comida. O cardápio é super diversificado e só tem ingredientes do bem. Vou fotografar uma dessas marmitas para postar no Instagram. Aliás, tenho postado algumas receitas e dicas super fáceis relacionadas a alimentação saudável no insta. Quem tiver vontade de conhecer é só procurar por @studio1422
Bom, sobre a receita, hoje trago uma salada no pote bem fácil de fazer e que combina bastante com o verão. Pode acrescentar também abacaxi cortado em cubinhos que fica uma delícia. Eu não posso comer abacaxi e por isso não coloquei.
Acredito que todo mundo já conhece esse tipo de receita, mas achei tão bacana a dica que li em uma revista que resolvi compartilhar.
Quando for montar a sua salada, comece sempre pelo molho ou então leve-o à parte. Na segunda camada entram os alimentos que podem ficar em contato com o molho sem sofrer alterações, como por exemplo os legumes, grãos ou carnes (cortadas ou desfiadas). A terceira camada pode ser preenchida com alguma fruta picada (manga, tomate, etc). Finalize a última camada com as folhas como alface, rúcula, agrião, etc.

Ingredientes:
¼  repolho roxo pequeno fatiado bem fininho
5 tomates-cereja cortados ao meio
1 manga espada cortada
4 nozes ou castanhas-do-Pará
2 tâmaras ou 1 colher (sopa) de uvas-passas
um punhado de mix de folhas baby
um punhado de broto de alfafa

Para o molho:
1 pote de iogurte vegetal ou grego
2 colheres (sopa) de suco de laranja
raspas de ½  limão
sal a gosto

Modo de preparo:
Coloque as tâmaras para hidratarem em uma tigelinha com água por aproximadamente 20 minutos. 
Pique as nozes e as tâmaras em pedacinhos bem pequenos e, em uma tigela, junte com todos os ingredientes do molho e misture bem. Reserve.
Monte a salada dentro de um pote, começando pelo molho, a manga, o repolho, os tomates e finalize com as folhas.

Rende 2 porções. 
Receita inspirada no livro Detox dia a Dia, de Astrid Pfeiffer. Editora Alaúde.


Penne à primavera


Faz dois meses que iniciei o meu processo de RA, mas já faz uns três anos que venho, vagarosamente, mudando alguns hábitos. Comecei diminuindo a quantidade de açúcar de todas as minhas preparações e eliminei de vez esse ingrediente do meu cafezinho. Demorou alguns meses para eu me habituar a essa mudança. Depois comecei a prestar atenção na quantidade de carboidratos refinados que eu estava ingerindo. Percebi que tinha dias que eu comia pão no café, biscoito (ditos integrais, mas que na verdade são feitos com uma proporção de farinha branca maior que farinha integral) no lanche da manhã, almoçava macarrão, no café da tarde comia outro pão ou qualquer outra coisa feita de farinha e jantava mais alguma coisa feita com carboidratos refinados. E eu poderia passar tranquilamente a semana assim, repetindo esse cardápio. 
Resolvi começar substituindo o pão do café da manhã por mingau de aveia com banana e canela. Depois tirei o biscoitinho do lanche e, no lugar, coloquei uma fruta. Algumas vezes sentia muita fome e daí comia mais três castanhas, mas o que batia forte era a vontade de comer.
Aprendi então a beber água. É sério isso! Muitas pessoas confundem sede com fome e eu era uma dessas pessoas. A minha dica é ter uma garrafinha pequena só para você, assim conseguirá ter uma ideia da quantidade de água que está ingerindo. Foi exatamente o que eu fiz e fiquei surpresa ao descobrir que tinha dias que eu só bebia 500 ml de água. 
Enfim, para não deixar esse post muito extenso eu escreverei mais posteriormente. 
Só peço que se você está passando por esse mesmo processo ou ainda está criando coragem para iniciar, acredite muito na sua capacidade de superação. Quero muito saber a sua história. Você pode entrar em contato por e-mail ou direct no insta. Ambos estão na parte superior à direita desta página. Juntas somos mais fortes!

Ingredientes:
½ cebola roxa cortada em fatias finas
1 pimentão vermelho pequeno cortado em julienne
1 cenoura média cortada em julienne
1 abobrinha cortada em rodelas 
150g de floretes de brócolis * 
5 aspargos (sem as extremidades e cortados cada um em 3 partes)
2 dentes de alho pequenos bem picadinhos
100g de tomates-cereja cortados ao meio
folhas frescas de orégano
sal a gosto  
2 e ½  colheres (sopa) de azeite de oliva
200g de macarrão integral tipo penne
queijo parmesão ralado na hora

Modo de preparo:
Cozinhe o macarrão conforme as instruções da embalagem. 
Em uma panela tipo wok, aqueça o azeite e coloque a cebola, a cenoura e o pimentão e cozinhe por aproximadamente por 2 minutos (na boca menor do fogão e em fogo médio). Acrescente o aspargo, o brócolis e a abobrinha e continue refogando por mais 4-5 minutos, mexendo ocasionalmente. Os legumes devem ficar al dente.
Adicione o alho, o sal e o orégano e deixe por mais 1 minuto. Desligue o fogo e acrescente os tomates e o macarrão cozido. Misture e finalize com o parmesão ralado. 

Rendimento: 3 porções.
* É importante branquear o brócolis para fazer essa receita. Caso não saiba como fazer, clique aqui.

Smoothie bowl de pitaya


Ontem, conversando com a minha irmã, falávamos sobre projetos, como alcançar metas, marketing e redes sociais. Confesso que ainda não consegui me adaptar ao Instagram. Acho que a velocidade das respostas das pessoas em relação ao conteúdo recém postado me assusta um pouco. Aqui eu consigo me sentir tão confortável e é por isso que, apesar de ficar tempos sem aparecer, volta e meia eu dou uma espanada no pó e escrevo algo.
Enfim, cá estamos comemorando uma década do blog. Tantas coisas aconteceram nesse tempo… Quanta coisa eu comi para postar e agora as gordurinhas estão todas acomodadinhas em cada centímetro do meu corpo. Essa parte é triste, pois estou sofrendo um bocadinho para eliminá-las. 
Optei pelo caminho mais sensato que é a reeducação alimentar. Sim, eu já fiz dieta mas não deu certo. Recuperei tudo e ainda peguei os quilos que outras pessoas perderam. Inclusive deixo avisado que se alguém perdeu peso é bom verificar se eu não peguei sem querer. Faça-me o favor de vir buscar urgente.
Aos poucos vou dividindo esse processo por aqui, pois quero encontrar pessoas que também estão passando por isso.
Começo contando sobre o trabalho de uma nutricionista que sigo no insta e que serviu de gatilho para começar a minha mudança. A nutri é a Aline Quissak, do perfil @nutri_secrets. Ela sempre discorre sobre temas super interessantes e um deles falava sobre emagrecer aos trinta. Super recomendo.
Bom, vamos falar sobre a receita? Quem me acompanha sabe que eu sou fã de doces, embora já tenha mudado bastante, e, por isso,  comecei a buscar receitas mais saudáveis para saborear sem pesar na consciência e, principalmente, na balança. Eis que trago uma verdadeira delícia feita apenas com frutas congeladas e um tiquinho de leite de coco. O bom é deixar no freezer para endurecer e ficar como um sorvete. Sensacional!

Ingredientes:
1 banana cortada em rodelas e congelada
1 manga espada média picada e congelada - sem o caroço
1 pitaya média picada e congelada
50 ml de leite de coco industrializado*

Modo de preparo:
Coloque todos os ingredientes em um processador de alimentos e processe até obter uma mistura homogênea e cremosa. Coloque o smoothie em um bowl e leve novamente ao freezer até congelar. Decore com frutas de sua preferência - eu usei banana, mirtilo, morango e nozes - e sirva em seguida.

Rendimento: 2 porções


* Leite de coco caseiro é mais líquido e sua textura interfere na consistência do smoothie.
Se preferir, pode consumir o smoothie sem estar congelado. Fica bem cremoso.

Fritada de abobrinha


Não sou muito fã de fritada de abobrinha porque quando comi pela primeira vez ela estava tão mole que deixou-me com uma lembrança não tão boa. 
Resolvi dar mais algumas chances e nessa última preparei as fritadas da foto. Ainda não consigo dizer que é a minha maneira preferida de comer abobrinhas, mas posso afirmar com toda sinceridade que foi a primeira vez que ela não juntou aquele líquido todo e, consequentemente, ficou bem mais saborosa. 
A dica é torcer muito bem o pano até ver que a abobrinha está bem sequinha. Usar um queijo de boa qualidade também faz toda a diferença. 

Ingredientes:
2 abobrinhas médias
4 colheres (sopa) de farinha de trigo integral
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado na hora - ralo grosso
sal e pimenta-do-reino a gosto
Azeite para untar

Modo de preparo: 
Rale as abobrinhas no ralo grosso,coloque-as sobre um pano de prato limpo e esprema até sair todo o líquido. 
Em uma tigela, misture todos os ingredientes com as mãos.
Aqueça a frigideira e unte-a com um pouquinho de azeite. Coloque pequenas porções da mistura sobre a frigideira e achate-as com uma espátula.
Frite por 3 minutos de cada lado, até dourar.
Retire as fritadas e deixe escorrer em um prato forrado com papel toalha.

Rendimento: 3 porções
Receita do Livro Leve, Saudável e Delicioso, de Dannii Martin. Editora Quarto.

Hambúrguer de feijão


Ando sumida, eu sei. Mais aqui do que no insta, pois tenho aparecido por lá com mais frequência.
Bom, Ano Novo vem sempre acompanhado de novas promessas e cá estou trocando BK por hambúrguer de feijão. 
Confesso que mudar a alimentação requer muita dedicação, pois não é fácil encontrar tempo para cozinhar. É bem mais fácil e rápido juntar um pacote de macarrão com um vidrinho de molho pronto do que higienizar, descascar, picar e cozinhar uma variedade de vegetais, mas a saúde acaba cobrando a conta posteriormente.
Enfim, preparei essa receita e congelei-a, assim no dia que estou muito atarefada, cansada ou até mesmo com preguiça, basta retirar do freezer, grelhar e juntar com uma saladinha e quinoa cozida para ter uma refeição mais saudável. 

Ingredientes:
396 g de feijão preto cozido e escorrido
1 colher (sopa) de azeite de oliva extravirgem
¾ xícara de pimentão picado
1 xícara de cebola roxa picada
3 dentes de alho picados
½ xícara (chá) de farinha de rosca ou farinha de aveia
2 ovos grandes
1 colher (chá) de páprica defumada
1 colher (sopa) de molho inglês
2 colheres (sopa) de molho barbecue 

Modo de preparo:
Preaqueça o forno a 160 ºC.  
Espalhe os feijões em uma assadeira coberta com papel manteiga e asse por 15 minutos até secar levemente.
Enquanto isso, em uma panela, aqueça o azeite e sue a cebola, o alho e o pimentão por aproximadamente por 5 minutos ou até que a cebola fique macia.
transfira a mistura para um processador de alimentos ou uma tigela grande, acrescente os demais ingredientes e pulse ou mexa.  Adicione os feijões e torne a pulsar ou, com auxílio de um garfo, amasse, deixando alguns pedaços maiores de feijão. 
Modele os hambúrgueres.
Você pode optar por grelhar ou assar os hambúrgueres.*

* O tempo de cozimento varia conforme o tamanho e a espessura do hambúrguer. Para maiores informações acesse o site da autora da receita.  

Almôndega de quinoa


Dias atrás, no Instagram, eu comentei sobre a revista Gastronomia Angeloni. Para quem ainda não conhece, é uma publicação impressa, gratuita e distribuída (acaba rápido!) na rede de supermercados Angeloni e também disponível para download. Nessa revista você encontra várias dicas, lançamentos de produtos, lindas fotos do fotógrafo Rogério Voltan e diversas receitas. Cada uma vem com um tema, tipo: Cardápios para celebrar, Receitas para aquecer e; entre vários outros, um é sobre Estilo vegetariano. Foi nessa revista que eu encontrei a receita dessas almôndegas, que na verdade é uma receita de quinoaburguer.
Para dar ainda mais sabor, eu mesma preparei o molho de tomate.
Já faz algum tempo que não compro molho pronto. Fiz uma hortinha aqui na varanda e estou colhendo manjericão e orégano fresquinhos e saborosos para temperar meu molho. 


Ingredientes:
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 cebola picada em cubos
1 xícara (chá) de quinoa pré-cozida
¼ de xícara (chá) de sementes de girassol tostadas
1 xícara (chá) de ricota (ou tofu)
1 xícara (chá) de salsinha e cebolinha
Sal e pimenta-do-reino a gosto
¼ xícara (chá) de linhaça dourada

Modo de preparo:
Em uma panela, refogue no azeite a cebola até dourar. Reserve. Em um bowl, coloque a cebola refogada, a quinoa, as sementes de girassol e a ricota (ou tofu). Misture bem até formar uma massa. Acrescente a salsinha e a cebolinha e acerte o sal e a pimenta. Modele pequenas bolinhas, unte-as com um pouco de azeite e empane com a linhaça.
Unte uma assadeira com um pouco de azeite de oliva e leve as almondegas para assar por aproximadamente 20 minutos ou até ficar douradinhas.
Retire as almôndegas do forno e coloque-as no molho de tomate. Aqueça o molho por aproximadamente 5 minutos e sirva.



Receita da revista Gastronomia Angeloni, nº31, ano 5.

Tiramisù



Preparei esse tiramisú no ano passado e acabei esquecendo de postar.
Ficou tão delicioso que só de lembrar dói, pois ultimamente tenho evitado preparar receitas assim. Ah, dá para trocar o mascarpone por cream cheese; fica tão bom quanto! A única ressalva é que, para deixar a cobertura bonitinha assim, eu tive que usar um pouquinho de gelatina em pó incolor para atingir a consistência ideal.


Ingredientes:
2 pacotes de biscoito champanhe
1 xícara de café bem forte e sem açúcar
Cacau em pó para polvilhar
4 gemas
114g de açúcar
34 ml de água
250g de mascarpone
200g de chantilly

Modo de preparo:
Comece preparando o café e deixe esfriar em temperatura ambiente.
Coloque as gemas na tigela da batedeira.
Em uma panelinha, coloque a água e o açúcar e leve ao fogo baixo até que surjam bolhas transparentes na superfície e atinja a temperatura de 121 °C.
Despeje a calda de açúcar sobre as gemas e bata em velocidade alta até formar uma mistura clara e firme. Leve à geladeira para esfriar por 2-3 minutos e, assim que estiver completamente fria, adicione o mascarpone e bata novamente, em velocidade baixa, até obter uma mistura cremosa e homogênea. Acrescente o chantilly e, com uma espátula, misture o creme delicadamente. Leve para gelar.
Comece montando o tiramisù molhando os biscoitos no café. Tome cuidado para não encharcá-los.
Faça uma camada de biscoito no fundo do refratário*. Se necessário, corte os biscoitos para conseguir preencher toda a extensão da forma.
Coloque metade do creme por cima e repita a camada de biscoitos molhados no café.
Utilizando um saco de confeitar e um bico perlê grande, faça uma nova camada com o creme restante.
Leve para gelar e antes de servi-lo, polvilhe com o cacau em pó.  



Utilizei um refratário de 20 X 14 cm.
Receita daqui.


Chia pudding com caramelo de tâmaras


Primeira receita do ano e com ela vem o desejo de uma mudança alimentar. Comecei a prestar atenção aos sinais que o meu corpo anda emitindo. Não tenho mais 20 anos e, como diz o meu irmão, estou ficando crocante, principalmente o joelho que anda fazendo crec quando me movo rapidamente.  É a minha saúde cobrando anos de uma alimentação rica em açúcar e uma vida sedentária. Comecei a buscar por receitas que priorize ingredientes mais naturais, como esta de hoje.
Acreditem: ficou maravilhosa! Sem glúten, sem lactose e cheia de sabor. 


Ingredientes:
250 ml de leite de coco*
50g de chia
20g de cacau em pó
1 colher (sopa) de mel
1 colher (chá) de extrato de baunilha - opcional
110g de tâmaras secas e sem caroço
Água o suficiente para hidratar as tâmaras e preparar o caramelo – usei 130 ml
Nozes e raspas de chocolate 70% cacau para decorar - opcional

Modo de preparo:
Coloque as tâmaras de molho na água e leve à geladeira por no mínimo 8 horas.
Em um bowl, misture o leite de coco com o cacau. Misture bem para dissolver o cacau por completo. Acrescente o mel, o extrato de baunilha, a chia e mexa. Distribua essa mistura em 2 taças e leve para gelar por aproximadamente 6 horas.
Retire as tâmaras da geladeira e coloque-as no liquidificador juntamente com a água do molho. Liquidifique até que a mistura fique homogênea.
Distribua o caramelo entre as taças e, se desejar, sirva com nozes picadinhas e raspas de chocolate.

Rendimento: 2 porções.


Receita original aqui e caramelo de tâmaras daqui.
* Eu mesma preparei o leite de coco, não utilize o industrializado porque ele é muito espesso.

Cheesecake de chocolate


Mais uma receita de cheesecake, mas eu tenho uma explicação, tá? Eu saí para comprar cream cheese para a receita anterior e cada potinho estava custando por volta de R$ 4,00 por 150g. Eu precisava de 1 kg. Só pensa no custo! 
Peguei os potinhos como se estivesse carregando ouro e eis que, quando vou caminhando em direção a fila do caixa, eu vejo um pote de 3,6 quilos de cream cheese por R$ 20,00. Na hora o meu marido pegou o pote e disse: Leva!!!! Eu tentei argumentar que era uma quantidade absurda, mas ele me respondeu dizendo que eu deveria fazer um monte de cheesecake. Enfim, concordei. 
Cheguei em casa e mandei ver.

Ingredientes:
900g de cream cheese
190g de açúcar 
1 colher (chá) de extrato de baunilha
4 ovos
200g de chocolate escuro, grosseiramente picado

Para a base
200g de biscoitos digestivos –substituí por Oreo
2 colheres (sopa) de cacau em pó
150g de manteiga sem sal, derretida

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 150 °C. Forre o fundo de uma forma de 23 cm de diâmetro com papel manteiga e cubra as laterais com papel alumínio para que não entre água quando estiver assando.
Em um processador, triture os biscoitos até formar uma farinha bem fina. Ainda com o processador ligado, despeje lentamente a manteiga derretida. Retire do processador essa mistura e coloque-a na forma. Pressione bem com a palma da mão ou com as costas de uma colher até cobrir toda a base. Leve para refrigerar enquanto prepara o creme.
Coloque o cream cheese, o açúcar e a baunilha no bowl da batedeira e, utilizando um fouet ou o batedor tipo “raquete” da batedeira, bata em velocidade lenta até obter uma mistura lisa e cremosa. Com a batedeira ainda ligada, adicione os ovos, um de cada vez. Certifique-se de raspar as laterais do bowl sempre que precisar.
Derreta o chocolate em banho-maria ou no micro-ondas, tomando cuidando para não deixar queimar. Coloque um pouco do creme no chocolate derretido e misture delicadamente. Despeje essa mistura no creme restante e mexa até ficar homogêneo. 
Retire a base do cheesecake da geladeira e despeje o creme por cima. Em uma assadeira maior, coloque a forma do cheesecake dentro. Preencha a assadeira com agua até atingir a sua metade. Leve o cheesecake para assar por 40-50 minutos, verificando regularmente após 40 minutos para se certificar que não está queimando. Teste sacudindo a forma – o recheio deve tremer levemente.
 Desligue o forno e deixe o cheesecake esfriar dentro dele, depois cubra-o com papel filme (tome cuidado para não encostar no creme) e leve-o para refrigerar antes de servir.
Se desejar, prepare uma calda de chocolate para cobrir o cheesecake. 

Rendimento: 10-12 fatias.
Receita do Livro the hummingbird bakery cookbook

Cheesecake de limão siciliano com mirtilo e framboesa


Hoje, ao escrever esse post, meu pensamento voou longe.
Lembrei de muitas coisas que já me aconteceram e que me trouxeram até aqui. Há 14 anos atrás eu comecei uma história com a gastronomia. Tinha um prazer imenso por cozinhar, principalmente doces. Por conta disso fui parar na faculdade de gastronomia e abri meu primeiro atelier de doces. Passados alguns anos eu abri uma loja de bolos e acabei encerrando as atividades. Me frustrei muito e comecei a questionar sobre o que eu queria fazer futuramente e o por que desse tempo perdido. Conversando com uma pessoa, ela me disse que eu me apegava muito as coisas ruins e que eu deveria levar comigo só as coisas boas. Na hora foi difícil compreender.
Hoje trabalho com fotografia de comida e food styling e, ouvindo um professor, no curso de fotografia, falando sobre a importância de ter uma boa formação na área a fim de melhorar uma imagem, compreendi que o caminho percorrido foi necessário.
Ah, outra coisa que mudou durante esses anos foi a minha paixão por cozinhar. Estou em uma fase da vida que ando sem vontade. Cozinho todos os dias por obrigação e não por prazer. Acreditem ou não, mas os posts aqui são feitos com o intuito de praticar a fotografia e não mais para testar as receitas.  Comer eu continuo gostando da mesma que forma que antes, não mudou nadinha. 😁
Bom, mudando de assunto, eu já fiz um cheesecake desse mesmo livro mas resolvi que já estava na hora de preparar outra receita do Eric Lanlard. Na realidade o cheesecake foi levemente modificado; o que era para ser Manhattan acabou virando cheesecake de limão siciliano com mirtilo e framboesa e foi servido com um curd de limão siciliano que eu já preparei aqui.


Ingredientes:

Para a base
75g de manteiga sem sal, mais o suficiente para untar a forma
300g de biscoito maisena triturado

Para o recheio
1 kg de cream cheese (o mais seco possível)
250g de açúcar + 2 colheres (sopa)
3 colheres (chá) de farinha de trigo comum
1 colher (chá) de essência de baunilha
Raspas da casca e suco de 1 limão siciliano
3 ovos grandes
300 ml de creme de leite azedo
100g de mirtilo
100 de framboesa

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 180 °C. Unte o fundo e as laterais de uma forma de aro removível de 24 cm de diâmetro e forre o fundo com papel manteiga.

Para a base
Derreta a manteiga em uma panela media e incorpore o biscoito maisena triturado. Pressione bem para recobrir todo o fundo da forma preparada. Leva para assar em forno preaquecido por 10 minutos. Deixe esfriar sobre uma grande enquanto prepara o recheio.

Para o recheio
Aumente a temperatura do forno para 220 °C.
Em um processador, misture os mirtilos e as framboesas com 2 colheres (sopa) açúcar. Se desejar, passe o coulis em uma peneira para retirar as sementes. Reserve
Bata o cream cheese na batedeira na velocidade média-baixa, por uns 2 minutos, até ficar cremoso. A seguir, junte o açúcar aos poucos e depois a farinha. Continue batendo, enquanto adiciona a baunilha, as raspas da casca e o suco de limão. Acrescente os ovos, um a um, e incorpore o creme de leite azedo, até obter um creme homogêneo, volumoso e aerado.
Despeje metade do recheio na forma com a base e distribua metade do coulis e, com um palito, fazendo movimentos circulares, mescle os dois.
Repita o procedimento com o restante do creme de queijo e do coulis. Leve para assar por 10 minutos, então, abaixe a temperatura do forno para 140 °C, e deixe assar por mais 25 minutos. Teste sacudindo a forma – o recheio deve tremer levemente. Desligue o forno e deixe o cheesecake esfriar por 2 horas, sem abrir a porta. O cheesecake pode rachar levemente ao esfriar. *





Serve de 10-12 pessoas.
Receita do Livro Feito em Casa, de Eric Lanlard. Ed. Larousse.

*Assei o cheesecake em banho-maria. Para isso, cobri as laterais e o fundo da forma, envolvendo-a bem em papel alumínio. E importante tomar cuidado para a água não entrar dentro da forma.